Equipes da Superintendência do Procon/Campos prosseguem com fiscalizações com objetivo de coibir a cobrança abusiva de preços, devido à paralisação nacional dos caminhoneiros. Nesta segunda-feira (28), os trabalhos estão concentrados em estabelecimentos que comercializam gás de cozinha. Na última semana, o Procon apurou denúncias de aumentos abusivos nos preços dos combustíveis.

Nesta semana, o órgão voltou as atenções ao preço do gás de cozinha, visto que houve desabastecimento nos postos de toda cidade e recebeu uma série de denúncias sobre o valor cobrado. Segundo o superintendente do Procon, Douglas Leonard, alguns comércios serão autuados por cobrarem valor excessivo. 

“Recebemos muitas denúncias e estaremos calculando a média de valor no gás de cozinha buscando o histórico do comércio. Fazemos o levantamento da nota de entrada e saída do produto, e a partir daí comparamos os valores de comércio de antes e depois da escassez de transporte e veremos quem está se aproveitando da situação”, disse.

A orientação é para que os consumidores entrem em contato com o Procon sempre que constatarem cobranças abusivas, através do telefone (22) 98175 2561 e do aplicativo Meu Procon. No ato da compra, o consumidor deve solicitar nota fiscal se houver, efetivamente, o consumo o produto para apresentar ao órgão fiscalizador.  A sede do Procon fica na Av. José Alves de Azevedo, 236, Centro.