O departamento de educação e pesquisa da superintendência do Procon/Campos acaba de divulgar a pesquisa mensal dos preços dos combustíveis nos postos do município. A pesquisa foi realizada entre os dias 25 e 27 de abril e abrangeu 32 postos, localizados na área Central e nos distritos de Goitacazes, Guarus e Travessão. Foram aferidos os preços de cinco combustíveis, sendo eles Gasolina Comum, Gasolina Aditivada, Etanol, Diesel e Diesel S10.

 

O preço mínimo encontrado nos postos foi de R$ 3,59 para o litro de gasolina comum, R$ 3,84 para a gasolina aditivada, R$ 2,74 para o etanol, R$ 2,93 para o diesel e R$ 2,99 para o diesel S-10. O preço médio dos combustíveis no município, como mostra o gráfico acima, totalizou R$ 3,87 para a gasolina comum, R$ 4,06 para a gasolina aditivada, R$ 3,07 para o etanol, R$ 3,07 para o diesel e R$ 3,22 para o Diesel S-10. Já o máximo encontrado foi de R$ 4,14 para a gasolina comum, R$ 4,23 para a gasolina aditivada, R$ 3,54 para o etanol, R$ 3,21 para o Diesel e R$ 3,34 para o diesel S-10. A variação dos preços foi maior para o combustível etanol, com 29% de variação do maior para o menor preço entre os postos pesquisados. A gasolina comum, por sua vez, variou 15%.

 

Em relação à pesquisa realizada pela superintendência de defesa do consumidor no mês de março, verificou-se que os preços da gasolina, tanto comum quanto aditivada, se mantiveram estáveis. No que se refere aos demais combustíveis, no entanto, houve alterações. O preço médio do etanol encontrado nas bombas dos postos de Campos registrou uma redução de R$ 0,03 a R$ 0,04 centavos por litro; Em relação ao Diesel, no intervalo de um mês, houve um aumento de R$ 0,05; o Diesel S-10, por sua vez, subiu R$ 0,06.

 

A Petrobras anunciou, para o dia 21 de abril, aumento dos preços dos combustíveis nas refinarias. A gasolina teve seu preço elevado em 2,2%, em média. O Diesel, em cerca de 4,3%. Desde que a estatal anunciou sua nova politica de preços, houve quatro reduções e dois aumentos. Nas palavras da empresa, “Se o ajuste feito hoje for integralmente repassado e não houver alterações nas demais parcelas que compõem o preço ao consumidor final, o diesel pode subir 2,9% ou cerca de R$ 0,09 por litro, em média, e a gasolina, 1,2% ou R$ 0,04 por litro, em média". Contudo, segundo a pesquisa realizada pela Agencia Nacional do Petróleo, a tendência encontrada nos postos do país, no mês de abril, foi no sentido de redução dos preços dos combustíveis. Na média nacional, todos os preços apresentaram recuo. De acordo com a ANP, os preços praticados no Brasil, no quarto mês do ano, foram: R$ 3,63 para a gasolina, menos R$ 0,05 em relação a março; R$ 2,63 no etanol, recuo de R$ 0,11; R$ 3,01 o Diesel, menos R$ 0,04 e, para o Diesel S-10, R$ 3,15, também com valor reduzido em R$ 0,04.

 

Nesse sentido, o que se tem percebido é que os postos, mesmo quando há aumento dos preços nas refinarias pela Petrobras, não tem repassado esse valor para os consumidores. Devido à crise econômica pela qual passa o país, as vendas foram reduzidas e a concorrência continuou alta, fazendo com que os revendedores não reajustassem tão prontamente seus preços como faziam anteriormente. A opção pela diminuição na margem de lucros vem sendo adotada como estratégia de sobrevivência. Além disso, é preciso sempre lembrar que cada posto tem suas próprias estratégias de mercado, com base em fatores como carga tributária (municipal, estadual, federal), concorrência com outros postos na mesma região e estrutura de custos de cada posto (aluguel, encargos trabalhistas, frete, volume movimentado, margem de lucro etc.).